Skip to content Skip to footer

Os maiores jogadores da história do futebol

Futebol, o esporte mais popular do mundo fez com que surgissem vários craques. Eles ficaram marcados e são aplaudidos até hoje. Neste post, listamos os maiores jogadores da história do futebol.

Pelé

Não poderíamos iniciar a lista sem ser com um brasileiro que se tornou um dos maiores jogadores da história do futebol. Edson Arantes do Nascimento, mais conhecido como Pelé, é o maior jogador de futebol de todos os tempos. Recebeu o título de melhor jogador do século XX pela FIFA e uma série de prémios. Nascido na cidade de três corações, no estado de Minas Gerais, desde muito novo, desejava ser jogador como o seu pai, João Ramos do Nascimento, conhecido como Dondinho.

 A sua consagração aconteceu no Copa do Mundo da Suécia, em 1958, quando o Brasil foi campeão pela primeira vez na história. Pelé marcou 6 gols e foi importante peça chave para essa conquista. O atacante participou das copas de 1966, na Inglaterra, e na Copa do Mundo do México, em 1970, onde foi apelidado de rei.

Pelé fez mais de mil gols (1284) em todas as competições que jogoou e ganhou vários títulos pelos clubes por onde passou e pela seleção brasileira.

Maradona

Diego Armando Maradona nasceu em Lanús, na Argentina, em 1960. Maradona começou sua carreira no futebol profissional jogando no Argentinos Juniors. Depois, passou para o Boca Juniors e Newell’s Old Boys. Na Europa, jogou no FC Barcelona, no Nápoles, onde fez história, e no Sevilla FC.

Um dos momentos mais importantes de sua carreira foi na Copa do Mundo de 1986, no México, vencida pela Argentina e na qual Maradona foi o protagonista dessa conquista. E a famosa “La mano de Diós” ficou conhecida.

Zidane

Zinedine Yasid Zidane nasceu em 23 de junho de 1972 em Marselha, na França. Ali, desenvolveu sua habilidade nata para o futebol, primeiro em partidas de rua e depois em clubes infantis, como o US Saint-Henri ou o Septemes Sports Olympiques. Neste último, Zidane foi descoberto por um olheiro do AS Cannes, time de primeira divisão, quando tinha 17 anos. Depois de quatro temporadas com o Cannes, foi contratado pelo Bordeaux, equipe que liderou durante as quatro temporadas seguintes, levando-o inclusive à final da Copa da UEFA de 1996.

No mesmo ano, foi contratado pelo Juventus de Turim, com o qual conquistou duas Ligas Italianas, Copa e Supercopa da Itália, e a Copa Intercontinental. Em 1998, obteve a consagração definitiva ao levar a Seleção Francesa a consagrar-se pela primeira vez como campeã do mundo, na Copa da França de 1998. Zidane marcou dois dos gols na final contra o favorito Brasil.

Dois anos depois, em 2000, a França e Zidane voltaram a demonstrar sua qualidade ao vencer a Itália na final da Eurocopa, celebrada na Bélgica e na Holanda. No ano seguinte, “Zizou” se tornou o jogador mais caro da história quando o Real Madrid o comprou do Juventus por 66 milhões de dólares. Zidane foi o herói da equipe madridista, conhecida como os “Galácticos”, com a qual conquistou uma Liga Espanhola e duas Supercopas da Espanha. Mas o mais importante foi a conquista da Copa da Europa (atual Champions League), na qual Zidane marcou o gol mais inesquecível de sua carreira na final contra o Bayern Leverkusen.

Marco van Basten

Marco van Basten, ex -jogador de futebol e técnico, nasceu em Utrecht, na Holanda, em 31 de outubro de 1964. Quando tinha 16 anos, estreou no Ajax de Amsterdã e conquistou três Ligas, três Copas da Holanda e a Recopa Europeia de 1987.

Com muitos prêmios e tendo sido o artilheiro da Liga da Holanda em três oportunidades, ele entrou para a seleção nacional da Holanda, na qual conquistou a Eurocopa de 1998.

Em 1987, foi para o AC Milan, da Itália, e viveu uma época profissional dourada: ganhou três Ligas Italianas, em 1998, 1992 e 1993; duas Copas Europeias, em 1989 e 1990; duas Supercopas da Europa, em 1990 e 1991; e duas Copas Intercontinentais, em 1989 e 1990. No total, marcou 90 gols em 147 partidas.

Em 1986, foi premiado com a Bola de Ouro. E ainda que tenha conseguido se recuperar de múltiplas lesões ao longo de sua carreira, uma lesão crônica no tornozelo o obrigou a se aposentar.

Garrincha

O Anjo das pernas tortas. Com a camisa do Botafogo, ele foi mágico. Foi a camisa 7 da seleção brasileira, encantou o mundo. No dia 28 de outubro de 1933 nascia Manuel Francisco dos Santos, mais conhecido como Mané Garrincha. Garrincha foi um dos heróis na conquista da Copa do Mundo da Suécia em 1958 e da Copa do Mundo do Chile, que se realizou em 1962. Sempre que Garrincha e Pelé jogaram juntos, a seleção brasileira foi invencível e não perdeu um único encontro.

Eusébio

Eusébio da Silva Ferreira nasceu em Lourenço Marques (Maputo), capital de Moçambique. Ele é considerado um dos melhores e maiores jogadores da história do futebol e foi um grande destaque do futebol português. Atuou como um atacante incrível. A sua velocidade, drible, técnica e potência de chute amedrontava qualquer adversário. Ficou conhecido como o “Pantera Negra”, graças à sua atuação felina dentro de campo, e foi um dos embaixadores do futebol português no mundo.O auge de sua carreira foi jogando pelo Benfica e na Copa de 1966 na Inglaterra, onde ele ajudou a seleção portuguesa a eliminar a seleção brasileira.

Franz Beckenbauer

Um dos maiores jogadores de futebol da história do futebol foi o alemão Franz Beckenbauer. Ele nasceu em Munique em 11 de setembro de 1945. Beckenbauer foi um dos grandes destaques do time alemão campeão da Copa do Mundo de 1974 e do Bayern de Munique tricampeão da Europa em 1974, 75 e 76.

Bobby Charlton

Nascido no dia 11 de outubro de 1937, em Ashington, cidade inglesa famosa por suas minas de carvão, Robert Charlton tinha uma família de históricos no futebol. Com tios jogadores, Bobby sempre foi apaixonado por futebol e, aos 15 anos, foi descoberto por Joe Armstrong, olheiro do Manchester United.

Estreou no time principal do Manchester United em 1954, quando subiu das categorias de base do clube. Naquela época, foi comandado pelo escocês Matt Busby, que treinava uma equipe de baixa idade, onde ganhou um apelido carinhoso por isso, os Busby Babes. A idade média do grupo era de 22 anos.


A partir daí, começaram as glórias pelos “Diabos Vermelhos”. Já em sua segunda temporada, se consagrou campeão inglês e na seguinte, bicampeão. Chegou com o time até as semifinais da Copa dos Campeões da UEFA, caindo frente à força dominante do continente, o Real Madrid de Alfredo di Stéfano.

O título europeu com o United finalmente veio em 1968, após decepção no campeonato inglês, em que o título foi perdido por dois pontos para o arquirrival Manchester City. Na decisão, um grande embate entre ingleses e portugueses do Benfica, o jogo realizado em Wembley, terminou empatado em 1 x 1. Autor do gol do United no tempo normal, Charlton colocaria os britânicos na frente na prorrogação, terminada em 4 x 1 para os “Diabos Vermelhos”, no ápice da consagração do time.

Bobby Charlton, ainda disputaria a Copa do Mundo em 1966, onde se sagraria campeão mundial com a Seleção Inglesa, atuando em casa.

Puskas

Nascido no dia 2 de abril de 1927, Ferenc Puskas defendeu a seleção húngara em 84 oportunidades e marcou 83 gols, adquirindo a excelente média de aproximadamente 0,99 gols por jogo. Puskas era o maior nome da seleção húngara que encantou o mundo nos anos 50, quando ganhou os Jogos Olímpicos de 1952, em Helsinki, na Finlândia e provocou a primeira derrota da história da Inglaterra no Estádio de Wembley, em Londres (6 a 3, em 1953).

Após tais feitos, em 1954, na Copa da Suíça, a Hungria despontou como favorita, principalmente após a goleada por 8 a 3 sobre a Alemanha Ocidental, logo na primeira fase. A final foi contra a seleção alemã, que dessa vez levou a melhor vencendo por 3 a 2. Assim como a seleção brasileira de 1982, a Hungria de 54 também faz parte de uma dessas “injustiças do futebol”.

Nos clubes, o sucesso maior veio no Real Madrid, onde jogou de 1958 a 66, e ao lado de Di Stéfano fez parte um dos melhores times que o clube espanhol já formou em sua história, conseguindo seis títulos espanhóis (1958, 1961/62/63/64/65), duas Taças da Europa (atual Liga dos Campeões 1959/60), um Mundial de Clubes (1960) e uma Copa da Espanha (1962).

Johan Cruyff

Natural de Amsterdã, capital da Holanda, Cruyff nasceu no dia 25 de abril de 1947, por influência de sua mãe e necessidade de praticar esportes, o garoto foi treinar no Ajax, e lá encontrou o treinador Rinus Michels, que tinha sido recém contratado pelo time.

Na década de 60, ao lado de seu técnico, Johan revolucionou os padrões táticos do clube. Tal influência logo rendeu frutos, entre 1965 e 1970 foram três títulos nacionais e cinco copas da Holanda.

Em 1970, o Feyenoord, grande rival do Ajax, conquistou pela primeira vez na história do futebol holandês a Liga dos Campeões da Europa. Nos três anos seguintes, o Ajax encantou o mundo e Cruyff levou seu clube ao topo, vencendo o tricampeonato da Liga. O futebol praticado pelo clube naquelas temporadas recebeu um novo nome: Futebol Total.

O craque foi para o Barcelona, seguindo os passos de Rinus Michels. Na Espanha, sua contratação não foi bem vista, pois o valor era alto demais para a época. Mas o craque justificou o alto investimento logo no primeiro ano de clube, levou o Barca ao título do Campeonato Espanhol e sua seleção nacional à Copa do Mundo de 1974, realizada na Alemanha.

Após pendurar as chuteiras, o ex-meia despontou como técnico de futebol, fazendo sucesso instantâneo no futebol holandês.

Em 1988, o comandante recebeu o convite do Barcelona, time historicamente condicionado a jogar um futebol ofensivo, e não fez feio. Cruyff ficou por oito anos no banco do Barça batendo o recorde do clube, conquistando quatro vezes o campeonato nacional e o desejo maior de qualquer torcedor europeu: a Liga dos Campeões da Europa.

Leia: Clubes-empresas de Futebol: O que são e quais as principais

O que você achou da nossa lista com os maiores jogadores da história do futebol? Comente quais outros jogadores você acrescentaria.  

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.